Quarta-Feira, 04 de Julho de 2018
PREFEITO DE MORRO AGUDO CONTINUA AFASTADO
O Ministério Público pediu à Justiça mais 90 dias de afastamento
Image title

O Ministério Público pediu à Justiça que o prefeito de Morro Agudo fique afastado do cargo por mais 90 dias. Gilberto Barbeti (PDT) é alvo da Operação Eminência Parda, deflagrada em abril deste ano e que investiga desvios de R$ 1 milhão dos cofres públicos.


Segundo o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Barbeti é alvo de investigação da Procuradoria-Geral de Justiça, a quem compete apurar denúncias envolvendo prefeitos, por suspeita de envolvimento nas fraudes. Ele nega as acusações.


Na época foram presos o vereador Elvis Júnior Marques, o Juninho Serralheiro (PT), o secretário de Serviços Urbanos, Transportes e Obras Públicas, João Marcos Ficher, o ex-assessor de Assuntos Urbanos, Tiago Stolarique, a chefe do Setor de Licitações e Despesa da Prefeitura, Mara Cristina Braga Pereira, a secretária do prefeito, Elisiane Ferreira, e a secretária de Administração e Planejamento, Cleire de Souza.


Desde o afastamento de Barbeti, Morro Agudo é administrada pelo vice-prefeito Vinicius Cruz Castro (PPS). O prazo, no entanto, vence na próxima quarta-feira (11).


De acordo com o Gaeco, todos os suspeitos são investigados por associação e organização criminosas, dispensa de licitação sem a observância das formalidades legais, corrupção, peculato e desvio de verba pública.



As suspeitas sobre contratos de licitações em Morro Agudo surgiram em novembro do ano passado após a Operação Purgamentum. O Gaeco apurava fraudes em contratos da coleta de lixo, que levaram o ex-prefeito de Passos Ataíde Vilela (PSDB) à prisão.


De acordo com o promotor Rafael Piola, o ex-servidor público Thiago Stolarique foi apontado por funcionários da empresa Seleta, alvo da investigação, como o negociador de operações sem ocupar cargo na Prefeitura de Morro Agudo.


Em 2012, decisão da Justiça por uma ação de improbidade condenou Stolarique à perda dos direitos políticos e à proibição do exercício de cargos públicos. Antes da punição, Stolarique foi candidato a prefeito pelo PT no mesmo ano.


Para o Ministério Público, Stolarique continuou a atuar na administração pública de Morro Agudo, mesmo após a proibição e envolveu outros servidores públicos para beneficiar empresários.


De acordo com a Promotoria, não havia processo licitatório para contratação de prestadores de serviço no município. O mesmo grupo já teria agido em duas gestões anteriores do prefeito Barbeti, de 2005 a 2012, mas de forma menos engenhosa. A rejeição de dados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-SP) já indicava as fraudes.

Fonte: G1
Image titlePrefeito afastado de Morro Agudo, Gilberto Barbeti (PDT), alvo da Operação Eminência Parda



Fonte: Inside Vip





Viena


VEJA TAMBÉM


 
Eletropar