Terça-Feira, 21 de Maio de 2019
TREMOR DE TERRA TEVE EPICENTRO EM DELFINÓPOLIS
Instituições esclarecem que não há motivos para preocupação
Image title

Moradores das regiões de Ribeirão Preto e Franca se assustaram com o tremor de terra sentido ontem, às 16h45 (horário de Brasília).

De acordo com relatos no Facebook, o tremor foi sentido em alguns bairros de Ribeirão Preto e nas cidades de Franca, Cristais Paulista (SP), Jeriquara (SP), Sales Oliveira (SP), Rifaina (SP), Pedregulho (SP) e Ribeirão Corrente (SP).

O Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo, e mais outros 10 centros espalhados pelo país registraram o sismo, que teve magnitude de 3.9 na escala Richter, classificado como o maior dos últimos 29 anos naquela região. De acordo com órgão, o sismo teve o epicentro aproximadamente 12 km a oeste de Delfinópolis/MG, e 50 km a nordeste de Franca. Foi sentido de Uberlândia a Itaú de Minas (MG), e mesmo Ribeirão Preto (SP), a uma distância de até 200 km.

Sua magnitude, 3,9 foi menor do que o tremor de Sacramento/MG, em 1990, com magnitude 4,2, mas parecido com o tremor de 3,8 ocorrido em Passos/MG, em 1984. O Centro de Sismologia esclarece que esta região da fronteira entre sudoeste de Minas e nordeste de São Paulo costuma ter tremores de terra com certa frequência.


Em janeiro de 1922 ocorreu o maior tremor conhecido nesta região com magnitude 5,1 e epicentro perto de Mogi-Guaçu. Este de 1922 foi bem maior que o de hoje e foi sentido em metade do estado de São Paulo, sul de Minas e até a cidade do Rio de Janeiro. Causou algumas trincas em algumas cidades na região do epicentro.


De acordo com nota na página do Centro de Sismologia, magnitude 4 ainda pode ser considerada pequena, mesmo para o Brasil, que registra ao menos um sismo desta magnitude em alguma parte do país. A nota diz ainda que pequenos tremores podem ocorrer em qualquer região do Brasil, pois a crosta terrestre está sujeita a pressões geológicas que ocasionam, de vez em quando, deslizamento entre blocos de rocha nas camadas mais rasas (até 10 ou 20 km de profundidade) da crosta.

“Não sabemos exatamente por que esta região limite entre MG e SP costuma ter mais sismos do que outras áreas do Sudeste. Uma hipótese é que nesta região a espessura da placa litosférica (placa tectônica da América do Sul) é mais fina do que no resto do Brasil, o que pode concentrar tensões geológicas nas primeiras dezenas de km da crosta".

Não é possível prever se ocorrerão outros tremores ou se este foi um sismo isolado. O tremor de 1922 foi um único evento isolado. Já o de Sacramento de 1990 teve algumas pequenas réplicas bem pequenas por alguns meses.





Anuncie


VEJA TAMBÉM


 
Eletropar