Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018
PREGOEIRA DENUNCIA FRAUDE EM LICITAÇÃO
Parlamentar de Andradina é preso em flagrante
Image titlePregoeira Madalena Marta Macedo Medeiros

Raimundo Justino de Souza, Presidente da Câmara de Andradina, foi preso em flagrante por tentar fraudar uma licitação para contratação de monitores escolares, realizada pela prefeitura de São Joaquim da Barra.


O fato ocorreu na última sexta-feira (2), quando Raimundo disputava com outras seis empresas a licitação e ofereceu dinheiro para a concorrente que oferecia mais vantagens, a fim de que esta desistisse de participar do procedimento. 


De acordo com a pregoeira e presidente da Comissão Licitante, Madalena Marta Macedo Medeiros, a licitante coagida a procurou denunciando Raimundo. Em seguida, a pregoeira acionou a polícia, que levou os envolvidos à delegacia para prestar esclarecimentos.


A denunciante informou à polícia que o parlamentar de Andradina teria oferecido R$ 3 mil para que ela desistisse da licitação. Ao saber que a proposta apresentada pela vítima era a mais vantajosa para a Prefeitura, o outro participante, que estava ao lado dela pediu que abrisse mão da concorrência em favor de Raimundo, que lhe pagaria R$ 5 mil. A testemunha gravou toda a conversa com o celular.


Além de Raimundo, outras três pessoas foram presas em flagrante, duas delas de Andradina, o ex-secretário de Administração na gestão Jamil Ono e um autônomo de 52 anos, que é suplente de vereador na Câmara local. Todos foram liberados após pagamento de fiança de R$ 1 mil para cada. Raimundo é proprietário da empresa Eterna Gerais Brasil, com sede em Andradina.


Mesmo sendo soltos, os quatro envolvidos na fraude de licitação vão responder pelo processo e, se condenados, poderão pegar até quatro anos de detenção, e o parlamentar pode ter o mandato caçado. A licitação para a contratação de monitores escolares foi cancelada.

 

Em entrevista ao Jornal Impacto Online, de Andradina, o presidente da Câmara negou as acusações. “Vi um diálogo isolado entre a participante que tinha apresentado a melhor proposta e a pregoeira, uma espécie de desentendimento. Ambas deixaram a sala e cerca de quinze minutos depois retornaram, o pregão foi suspenso e com policiais militares levaram a todos para prestar depoimentos. Havia mais seis ou sete pessoas”, relata o vereador.


“Após passar em meu escritório fui prestar esclarecimentos, mas ninguém quis testemunhar nada e só devem se pronunciar nos autos do processo a ser aberto. Na verdade ninguém foi preso porque não havia razão para isso. E não estou preocupado porque não houve crime nenhum e quem fez a denúncia vai ter que provar”, comentou  Raimundo.


O delegado de polícia José Bernardino Alecrim, responsável pela investigação afirmou que esta é a terceira ocorrência do tipo registrada na cidade em um ano.


Image title
Raimundo Justino de Souza, Presidente da Câmara de Andradina





Fonte: Inside Vip





Viena


VEJA TAMBÉM


 
Eletropar