Segunda-Feira, 11 de Fevereiro de 2019
CARTÓRIO JOAQUINENSE EM NOVA FASE
Image titleSob a direção de Maria Lydia Flora, cartório de Notas e Protestos joaquinense obtém selo Ouro do Prêmio De Qualidade Total - PQTA

Muitas pessoas não entendem bem como funciona o comando de um cartório. Pertence ao setor público? Privado? Qualquer um pode ser delegado à função?

A atual Tabeliã do Cartório de Notas e Protesto de São Joaquim da Barra, Maria Lydia Gomes Flora, explica que com o advento da Constituição Federal de 1988 os cartórios passaram a ser providos por concurso. Trata-se de um serviço público, que é delegado a um particular, sob sua responsabilidade.

Para participar do concurso, que é considerado um dos mais difíceis do país, é necessário que o interessado tenha nível de bacharelado em Direito ou tenha completado dez anos de exercício de função, além de ter nacionalidade brasileira.Cabe aos cartórios assegurar segurança jurídica, prevenir litígios e, atualmente, exercer a função de auxiliar na redução de processos judiciais específicos, tais como inventários, divórcios e usucapião, consistindo em uma forma eficaz de pacificação social.

A administração e todos os investimentos, cabem ao Tabelião (na especialidade Notas /Protesto) ou ao Registrador (Registro de Imóveis, Registro Civil das Pessoas Naturais, entre outros). Maria Lydia é araraquarense e possui um currículo extenso. Formada em Odontologia, pela PUC-Campinas, especializou-se em Odontopediatria na Unesp-Araraquara; graduou-se em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco, possuindo seis pós-graduações na área jurídica, entre elas duas em Direito Notarial e Registral e ainda Mestrado em Direito Constitucional pela Faculdade de Direito do Sul de Minas. Tornou-se a primeira Tabeliã da cidade, tendo assumido a delegação em julho de 2015.

“Iniciei na área notarial em 2001, exercendo a função de Tabeliã Substituta por mais de dez anos no 3º Cartório de Notas de Recife-PE. Após a aprovação em alguns concursos, assumi a titularidade do Tabelionato de Protesto de Carmo do Paranaíba-MG, onde permaneci até ser aprovada no 9º Concurso de Cartórios de São Paulo”, relata. 

PUBLICIDADE


Atualmente o Cartório de Notas e Protesto joaquinense possui doze funcionários e dois estagiários, passando por muitas mudanças que acarretaram em grandes melhorias, buscando a prestação de um serviço de excelência à população.


Passou por reforma e ampliação, como a construção de um novo arquivo, sala de reuniões reservada para atendimentos personalizados e setor administrativo, investimento em informatização, com a aquisição de equipamentos e softwares, programa 5S, treinamento contínuo da equipe, por meio de cursos e palestras e implementação de mobiliário ergonômico.


PRÊMIO

Como reconhecimento de todo o investimento, em 2017 o Cartório recebeu um prêmio nacional inédito para São Joaquim da Barra: o selo Ouro do Prêmio de Qualidade Total - PQTA da Associação dos Notários e Registradores do Brasil, que verifica requisitos de excelência e qualidade na gestão organizacional e na prestação de serviços de cartórios de todo o país, tendo sido avaliados: Estratégia, Gestão Operacional, Gestão de Pessoas, Instalações, Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho, Gestão Socioambiental, Gestão da Informatização e Controle de Dados e Gestão da Inovação.


ATIVISMO E SUSTENTABILIDADE

Além das mudanças e conquistas realizadas no Cartório, Maria Lydia ainda se dedica à família: é casada com o empresário mineiro Sérgio Andrade de Souza e tem duas filhas gêmeas, de dois anos: Maria Luiza e Helena. Possui um intenso ativismo nas áreas sociais, promovendo constantes campanhas para arrecadação de doações às instituições da cidade.


A tabeliã também é engajada em movimentos ambientais e o Cartório realiza a coleta seletiva e o descarte correto de materiais utilizados: “Sempre tive preocupação com o meio ambiente. Somos responsáveis por assegurar um desenvolvimento sustentável, preservando os recursos naturais para as gerações futuras. Por isso, tenho grande atenção com o correto descarte dos materiais, seja em casa, seja no cartório. Tudo o que pode ser reciclado é separado e encaminhado ao destino correto”, informa.


A Tabeliã integra o corpo do grupo “Arboriza”, que promove o plantio de árvores na região urbana, lembrando que a falta de árvores na cidade é facilmente perceptível: “A cidade tem um grande déficit de árvores urbanas e eu vi no projeto “Arboriza” a chance de contribuir para melhoria desse quesito, o que me traz grande satisfação”.


Sobre sua experiência em ter fixado residência em São Joaquim da Barra, Maria Lydia é enfática. “Fui recebida de forma acolhedora. Aqui conheci pessoas maravilhosas e fiz grande amizades. Sinto-me grata e muito feliz pela oportunidade de morar em São Joaquim da Barra. Por isso, além do meu compromisso de prestar um serviço de qualidade e gerar empregos, me preocupo em fazer a diferença na construção de um futuro melhor para a nossa cidade”, conclui.






Anuncie


Eletropar