Sexta-Feira, 27 de Setembro de 2019
ESCOLAS DE RIBEIRÃO SÃO COTADAS PARA ADOTAREM MODELO MILITAR
Escolhidas por apresentarem baixos índices no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica
Image title

Três escolas municipais de Ribeirão Preto estão sendo cotadas para adotarem o modelo de ensino cívico-militar, proposto pelo Governo Federal.


Segundo a Secretaria Municipal da Educação (SME) as escolas EMEF Nelson Machado, no Jardim Maria Casagrande; EMEF Prof. Honorato de Lucca, no Jardim Salgado Filho; e EMEF Prof. Dr. Jaime Monteiro de Barros, no Jardim Aeroporto, foram as selecionadas.


O próximo passo do município será a realização de uma consulta pública com alunos, pais e professores das escolas escolhidas para discutir a implementação do modelo.


O prazo final para a inscrição das escolas termina nesta quinta-feira, 26, mas o município solicitou mais 15 dias ao governo federal para a realização da consulta pública.


Por meio de nota, a SME explicou que as escolas foram escolhidas por apresentarem baixos índices no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e no Saber 2019, sistema de avaliação da rede municipal de ensino.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), os militares atuarão na disciplina dos alunos, no fortalecimento de valores éticos e morais, e na área administrativa, no aprimoramento da infraestrutura e organização da escola e dos estudantes.


As questões didático-pedagógicas continuarão atribuições exclusivas dos docentes, sem sobreposição com os militares, e serão respeitadas as funções próprias dos profissionais da educação, que constam na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.


O Ministério da Defesa vai destacar militares da reserva das Forças Armadas para o trabalho de tutores. Eles serão contratados por até dez anos e vão ganhar 30% da remuneração que recebiam antes de se aposentar. Os estados poderão ainda destinar policiais e bombeiros para ajudar na administração das escolas.

O MEC informou que investirá R$ 1 milhão por escola, para o pagamento dos militares, melhoria da infraestrutura das unidades e materiais escolares.



PROGRAMA NACIONAIL DE ESCOLAS CÍVICO-MILITARES

O governo federal lançou recentemente o Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (Pecim), em cerimônia no Palácio do Planalto. Com o objetivo de promover a melhoria na qualidade do ensino na educação básica, a meta é implementar 216 escolas em todos as unidades da federação até 2023. A adesão dos estados e municípios ao programa é voluntária. A primeira cidade do estado de São Paulo a ter o modelo implantado foi Taubaté que a partir de 2020 coloca em funcionamento o novo sistema.


As escolas cívico-militares são instituições não militarizadas, mas com uma equipe de militares da reserva no papel de tutores. Em julho, o Ministério da Educação (MEC) já havia anunciado a implementação de 108 escolas nesse modelo, no âmbito do Compromisso Nacional pela Educação Básica. Agora, a meta foi dobrada.


O ministro da Educação, Abraham Weintraub, destacou que as escolas cívico-militares têm um desempenho muito acima da média e são instrumento para a melhoria da educação no país. Segundo ele, a meta é criar 216 escolas, mas o desafio é ter 10% de todas as escolas brasileiras no modelo cívico-militar até o final do governo do presidente Jair Bolsonaro.


A implantação das escolas cívico-militares vai ocorrer preferencialmente em regiões que apresentam situação de vulnerabilidade social e baixos índices no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Entre as premissas do programa estão a contribuição para a melhoria do ambiente escolar, redução da violência, da evasão e da repetência escolar.

Fonte: Revide e Agência Brasil 



Fonte: Inside Vip





Anuncie


VEJA TAMBÉM


 
Eletropar