Sexta-Feira, 07 de Fevereiro de 2020
BIBLIOTECA É REABERTA EM RIBEIRÃO PRETO
Após restauro em casarão histórico
Image title

Com recursos audiovisuais, internet gratuita e tecnologias para leitura acessível para pessoas com deficiência, a Biblioteca Sinhá Junqueira abre as portas para o público em Ribeirão Preto a partir desta sexta-feira (7).


Antiga sede da Biblioteca Altino Arantes, o casarão, ao lado do chamado Quarteirão Paulista e pontos históricos como o Theatro Pedro II, passou por um restauro de R$ 11 milhões concluído em um ano.


A obra garantiu a preservação das características originais do imóvel de 600 metros quadrados, datado dos anos 1930, e permitiu a construção de um anexo mais moderno e funcional de 900 metros quadrados.


Com cafeteria, auditório, salas de leitura, espaço infanto-juvenil e agenda cultural mensal, a expectativa é de que a biblioteca se estabeleça como um novo e movimentado centro cultural, afirma Marcos Awad, presidente da Fundação Educandário Coronel Quito Junqueira, entidade com fins sociais e filantrópicos responsável pelo restauro.


Com entrada gratuita, o local vai funcionar de terça a sexta-feira, das 9h às 19h, e aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 19h.


O que a Biblioteca Sinhá Junqueira vai oferecer

  • Acervo bibliográfico: o novo espaço terá 11 mil livros à disposição do público, com os principais títulos da literatura nacional e internacional. A maior parte do acervo estará na área mais nova, o anexo de 900 metros quadrados ao lado do casarão. Estantes com títulos vencedores dos prêmios Nobel e Jabuti, além de jornais e revistas são algumas das opções. Esse acervo poderá ser lido na própria biblioteca ou emprestado, mediante cadastro com documento.
  • Wi-fi gratuito;
  • Computadores com acesso à internet: serão 40 máquinas com acesso à internet à disposição do público;
  • Agenda cultural: contação de histórias, saraus, visitas monitoradas e encontros com escritores e palestras são algumas das atividades previstas na programação mensal (confira a agenda de fevereiro nesta reportagem);
  • Auditório: o espaço com capacidade para cerca de 60 pessoas está equipado com recursos audiovisuais que permitem a exibição de filmes e a realização de encontros e palestras;
  • Cafeteria;
  • Área infanto-juvenil: espaço preparado com livros voltados para as crianças e mobiliário temático para o público;
  • Salas de leitura: a nova biblioteca conta com cerca de 15 salas de leitura para o público, a maior parte delas no casarão histórico que foi restaurado;
  • Sala de acessibilidade: uma das tecnologias do espaço permite que deficientes visuais leiam o conteúdo de livros comuns em braile por meio de um teclado especial; em outro equipamento, as letras são amplificadas para quem tem dificuldade de leitura. Um terceiro sistema tem um teclado maior, que facilita o uso por parte de deficientes.




O RESTAURO

Residência do coronel Quito Junqueira, conhecido fazendeiro e usineiro da região, e da mulher Sinhá Junqueira, o casarão foi transformado em uma biblioteca em 1955.


Ainda com nome de Altino Arantes, o espaço foi assumido pela Fundação Educandário Coronel Quito Junqueira em 2014, ano em que o projeto de restauro começou a ser elaborado.


As obras foram iniciadas em fevereiro do ano passado, passados trâmites como a aprovação junto a órgãos de preservação do patrimônio histórico.


"A parte histórica, a beleza da casa com seus vitrais, pinturas, isso estava completamente abandonado. Funcionava lá a biblioteca, que tinha outro nome, tinha inclusive as licenças pra funcionar, mas estava em mau estado e a Fundação Educandário era quem tinha os recursos. Só quando esse patrimônio foi para a Fundação Educandário é que a gente pode viabilizar esse investimento", afirma Awad.


Além da recuperação do imóvel em detalhes como vitrais, pisos e pinturas, o espaço ganhou uma cafeteria, climatização com ar-condicionado, elevadores de acessibilidade e recursos para atrair novos públicos, que poderão usar 40 computadores, internet sem fio e terão acesso a 15 novas salas de leitura.


O acervo, inicialmente com 11 mil títulos, inclui parte do que a antiga biblioteca tinha, mas foi pensado para atingir um público mais abrangente. A maior parte dos livros está no anexo de 900 metros quadrados construído ao lado do casarão.


"Tem esse contraste de uma parte antiga com uma parte nova. A parte antiga com um valor mais histórico e a parte nova com um valor mais funcional, que vai permitir atender melhor as pessoas".


Todo o complexo passou a se chamar Sinhá Junqueira, como uma forma de homenagear a antiga moradora, envolvida em campanhas assistenciais e que tinha o sonho de abrir uma biblioteca inclusiva.


Endereço: Rua Duque de Caxias, 547, Centro, Ribeirão Preto

Entrada: gratuita
Horário de funcionamento: de terça a sexta-feira, das 9h às 19h; aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 19h.
Informações: (16) 3625-0743

Fonte: G1





Fonte: Inside Vip





Paulo Foto Designer


VEJA TAMBÉM


 
Eletropar