GRÁFICO MOSTRA PROGRESSÃO ACENTUADA DE NOVOS CASOS DE CORONAVÍRUS NA MACRORREGIÃO

Diretor da Fiocruz vê fase exponencial e diferença semanal entre novas confirmações saltou de 185 para 375



A pandemia da Covid-19 cresce a um ritmo mais acelerado na macrorregião desde o final de maio e o saldo de novos casos por semana mais que dobrou, saltando de 185 para 375 até 13 de junho.

É o que mostra um gráfico feito com base no acompanhamento diário realizado junto às prefeituras pela emissora EPTV.

No último sábado (13), quando a região atingiu o maior saldo da pandemia dentro do período usado no comparativo desde os primeiros casos em 21 de março, 61 das 66 cidades da região tiveram 1.272 novos registros de infectados e totalizaram 4.333 casos.

As mortes, que também começaram a crescer de maneira mais visível no final de maio, tiveram 42 novas confirmações no último fim de semana.

Para o diretor da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Ribeirão Preto, Rodrigo Stabeli, a alta evidencia que a região entrou em uma fase exponencial da doença, em que a quantidade de casos se multiplica de uma maneira cada vez maior.

Segundo ele, a expectativa é de que essa curva se acentue e atinja o pico em julho, mas ainda não é possível definir quando o gráfico vai atingir o platô, ou seja, momento em que o número de casos passa a ser estável.


CURVA ACENTUADA

O levantamento, que comparou os registros consolidados pelas prefeituras a cada sábado, descontados os saldos totais anteriores, mostra que as semanas compreendidas entre 21 de março e 9 de maio marcaram a etapa mais estável da pandemia na região, quando a totalização ficou abaixo dos 200 novos casos diários e a diferença semanal não passou de 22. O vírus até então já presente em 43 das 66 cidades da macrorregião.

Depois desse período, no entanto, os números começaram a ficar mais expressivos e praticamente quadruplicaram entre as semanas de 9 e 30 de maio, saltando de 163 para 629 novos registros em 56 municípios. A maior diferença atingiu 155 registros.

A partir de 30 de maio, essa diferença nas novas confirmações se elevou para entre 185 e 375 e a curva no gráfico ficou mais acentuada até atingir o pico de 1.272 registros adicionais às estatísticas em 13 de junho, quando 61 cidades contabilizavam pacientes infectados.

A evolução das mortes por Covid-19 acompanhou um ritmo parecido. Entre 21 de março e 9 de maio, os novos óbitos semanais ficaram abaixo dos 10, patamar que foi ultrapassado a partir de 16 de maio e começou a ficar mais preocupante em junho, com 31 e 42 confirmações respectivamente na primeira e segunda semanas do mês.

Veja abaixo como o vírus se espalhou pelos 66 municípios da macrorregião:

Fonte: G1


GALERIA