DURANTE O FINAL DE SEMANA, INCÊNDIOS DEIXARAM NUVENS DE FUMAÇAS CARREGADAS NA REGIÃO

Incêndios nas cidades de São Joaquim da Barra, Ipuã, Miguelópolis, Ituverava, Franca, Guaíra e Itirapuã



Mesmo com clima quente e previsão de tempo aberto, sem nuvens, o final de semana ficou encoberto e nublado na região. Isso porque diversos focos de incêndios aconteceram em cidades vizinhas. Fumaças dificultaram a respiração dos moradores.

Na sexta-feira, houve um foco de incêndio em São Joaquim da Barra. No sábado fogo nos arredores do bairro Itapuã, em Ipuã, iniciado em um canavial, controlado pela defesa civil com ajuda da Usina Alta Mogiana.

No domingo, um foco de incêndio se alastrou rapidamente pela vicinal Willian Amin, entre as cidades de Miguelópolis e Ituverava, paralisando o trânsito.

Em Guaíra, um incêndio na rodovia  SP-425, sentido à usina Guaíra, atingiu às margens da rodovia e impediu o trânsito dos motoristas. O local atingido pelo fogo foi devastado e parte dos equipamentos e maquinários da Usina foram destruídos. 

Outro incêndio também prejudicou o fluxo de carros na rodovia Fábio Talarico, que liga São Joaquim da Barra a Franca. Motoristas foram impedidos de seguir viagem até que o fogo fosse controlado.

Em Franca, também no domingo, a mata e reserva ambiental localizada no bairro Esplanada Primo Meneghetti II, zona Sul, foi atingida por um grande incêndio. As chamas devastaram boa parte da área e, por pouco, não vitimaram vários cavalos que ficam em um haras próximo.

Houve também um incêndio de grandes proporções às margens da rodovia que liga as cidades de Itirapuã (região de Franca) a e Capetinga - MG. O fogo, que atingiu uma grande área florestal, acabou gerando muita fumaça, aumentando o risco de acidentes. De acordo com pessoas que possuem chácaras na região, o incêndio já dura há pelo menos oito dias e os órgãos responsáveis demoraram a atender as solicitações feitas pelos moradores.

O Corpo de Bombeiros afirmou que enviou equipes para o local na manhã deste domingo, 13, e que a situação ainda não foi controlada.



PREJUÍZOS AO MEIO AMBIENTE

Além dos danos ambientais, com animais morrendo ou perdendo habitats e vegetações típicas destruídas, as queimadas causam transtornos a quem vive ou se desloca por áreas adjacentes, como rodovias, afetam a agricultura e colocam em risco a saúde humana, principalmente a qualidade do ar, já comprometida pela baixa umidade recorde registrada nas últimas semanas.

Na região de Ribeirão Preto, a condição atmosférica é considerada ruim, com elevada concentração de pequenas partículas, segundo o acompanhamento diário da Companhia Ambiental do Estado (Cetesb).

Prevista em lei como crime, a prática de atear fogo em áreas verdes pode resultar em sanções no âmbito civil, por meio da reparação das áreas afetadas, na esfera criminal, com a possibilidade de prisão, e administrativo, com a aplicação de multas.

Para denúncias de focos de incêndios na região, contate a Policia Militar Ambiental, localizada em Franca, no telefone  (16) 3996-0450



GALERIA