“NÓS POR ELAS” – GRUPO JOAQUINENSE DE APOIO ÀS MULHERES QUE SOFREM COM A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

“Temos como objetivo acolher mulheres que registraram, ou não, boletim de ocorrência por violência doméstica, a fim de explicar o conteúdo integral da Lei Maria da Penha”



A violência contra a mulher tem se tornado um assunto popular e vem sendo discutida cada vez entre a população, no entanto, sua popularização não impede que os casos de agressão aumentem. De acordo com o Ministério da Saúde, uma mulher é agredida a cada quatro minutos no país. Isso falando das estatísticas que abrangem sobreviventes.

No contexto da pandemia de covid-19, os atendimentos da Polícia Militar a mulheres vítimas de violência aumentaram 44,9% no estado de São Paulo. Em relatório divulgado pelo  Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) o total de socorros prestados passou de 6.775 para 9.817, na comparação entre o período de março de 2019 e março de 2020. A quantidade de feminicídios também subiu no estado, de 13 para 19 casos (46,2%). O Acre e o Rio Grande do Norte também apresentaram aumento das denúncias, sendo 2,1% e 34% respectivamente. 

Com a finalidade de amparar mulheres que sofrem diariamente com relacionamentos abusivos, maus tratos, agressões físicas e psicológicas, surgiu em São Joaquim da Barra o grupo de apoio “Nós por Elas”, idealizado pela advogada Thatiane Leme. 

“Temos como objetivo acolher mulheres que registraram, ou não, boletim de ocorrência por violência doméstica, a fim de explicar a estas o conteúdo integral da Lei Maria da Penha, assim como os direitos que a Lei garante às vítimas, além de oferecer suporte durante o processo de investigação policial e ação judicial” publicou o grupo em sua página do Facebook (clique aqui).



Durante a pandemia, as ações do grupo estão sendo realizadas por meio de mídias sociais (lives no instagram, facebook e publicações) além de reuniões através dos aplicativos zoom,  google meet e whatsapp, que contam com profissionais com propriedade no assunto e convidados engajados na causa que podem auxiliar a vítima, como advogadas, psicólogas e assistentes sociais. A fundadora, Thatiane Leme, explica que após o isolamento social em virtude do coronavírus, o intuito é realizar reuniões presenciais em um espaço próprio, para auxiliar todas que estiverem precisando de ajuda.

“Nosso intuito é fazer com que a vítima se sinta mais segura, disposta a romper esse ciclo de violência, tendo em vista que, muitas vezes, a vítima acaba acreditando na promessa do agressor de que, reatando o relacionamento, tudo será diferente, mas, depois de alguns dias acaba sendo agredida novamente, até com mais violência. Em outras palavras, a psicologia, o direito e o amparo social, juntos, proporcionarão uma força necessária para mulheres que estão nessa situação” publicou.

O Nós Por Elas aborda questões como relacionamento abusivo, violência de gênero, violência doméstica, entre outras, as quais são alimentadas e ocultadas por uma sociedade ainda patriarcal e machista.

Para participar do grupo ou obter mais informações, clique aqui e acesse a página do facebook ou aqui para acessar a página do instagram, nelas é possível enviar mensagens diretas e, logo após, integrantes do grupo entrarão em contato.  



GALERIA