ESTUDANTE GRAVA SUCURI DE 7 METROS EM ESTRADA DE ITUVERAVA

O estudante flagrou a passagem da fêmea e de outras cinco cobras que a seguiam




Antônio Stábile, estudante de medicina veterinária de Ituverava, registrou a passagem de uma fêmea de sucuri de mais de 5 metros e de outras cinco cobras que a perseguiam na estrada rumo à represa da Faculdade de Ituverava Dr. Francisco Maeda (FAFRAM).

Na imagem é possível ver uma fêmea que, segundo o estudante, tinha entre seis e sete metros atravessando a estrada e sendo perseguida por cobras menores. O que poderiam parecer filhotes, na verdade, são machos tentando conquistá-la. É o que explica o biólogo Willianilson Pessoa: “serpentes não têm cuidado parental. A sucuri dá a cria e cada um dos filhotes segue seu caminho e ela segue o dela. Ao encontrar serpentes juntas em qualquer lugar do Brasil, é muito provável que elas estejam copulando ou em período reprodutivo”.

Em cobras dessa família, as fêmeas são muito maiores do que os machos, já que elas possuem uma dieta voltada a presas maiores e também precisam dar conta de dezenas de filhotes que têm origem em seu interior. O biólogo Cláudio Machado lidou durante anos com essa espécie no Instituto Vital Brazil, em Niterói, e explica que a mostrada no vídeo é uma Eunectes murinus, a mesma espécie da famosa cobra que ilustrou a abertura da novela Pantanal. Ele reforça que essas serpentes são as segundas maiores do mundo e as mais pesadas do Planeta.

De acordo com o biólogo, as sucuris podem passar de 100 kg e atingir até 7 metros de comprimento.  Durante esse processo de “conquista” das fêmeas pode ocorrer até um combate entre os machos e há a possibilidade de mais de um deles copular com a mesma cobra. Sendo assim, há casos de uma ninhada com mais de um pai. 

Matéria e imagens: G1





GALERIA