EM SJB, PRODUTORES E EMPRESÁRIOS PROTESTAM CONTRA AUMENTO DE IMPOSTOS

"Tratoraço" reuniu ao menos 100 pessoas em frente a Praça Sete de Setembro



Produtores rurais do interior paulista organizaram um protesto contra o aumento do ICMS autorizado pelo Governo do Estado de São Paulo que elevaria em mais de 4% a alíquota em diversas operações do Agronegócio – dentre outros setores, impactando toda a cadeia produtiva.

Convocados pelas redes sociais, o "tratoraço" aconteceu em todo o estado, em ao menos 110 cidades.

Em São Joaquim da Barra o protesto reuniu cerca de 100 pessoas na Praça Sete de Setembro, entre eles produtores rurais, empresários e comerciantes, segundo o presidente do Sindicato Rural, Lourival de Castro Andrioli. “Não tivemos aumento apenas no setor rural e agrícola, tivemos aumento em diversas áreas, como medicamentos, produtos de supermercado, automóveis... por isso a manifestação reuniu pessoas de todos os setores” explicou Lourival.

No “tratoraço” estavam presentes caminhões de redes de supermercados, tratores, carros e motocicletas.  “Se a gente não se mobilizar, o povo brasileiro vai ter pagar. Não podemos deixar que isso aconteça” disse o presidente.

Além do fim da isenção sobre o ICMS, o governador João Dória também aumentou as taxas sobre a importação de remédios contra o câncer. As alterações constam da Lei 17.293/20 e dos decretos  65.253 a 65.255. 



GOVERNO DE SP RECUA E SUSPENDE AUMENTO SOBRE ALIMENTOS E REMÉDIOS

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que cancelou a alteração prevista em alíquotas de ICMS sobre alimentos, insumos agrícolas e medicamentos, de acordo com publicação no Twitter na noite de quarta-feira (6).

O anúncio do governador veio após a pressão dos produtores rurais e entidades paulistas com a organização do “tratoraço” realizado hoje.

"Após reunião com a equipe econômica do Governo de SP, determinei o cancelamento de qualquer alteração de alíquota de ICMS em alimentos, medicamentos e insumos agrícolas", disse Doria.

As mudanças em alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de diversos produtos teriam alteração ou elevação a partir de 1° de janeiro, após decretos relacionados a uma lei publicada em outubro passado.

A pasta projetava uma arrecadação da ordem de R$ 7 bilhões com a medida, em recursos vistos como importantes para fazer frente a perdas causadas pela pandemia.

Em sua publicação no Twitter, o governador de São Paulo não detalhou impactos financeiros do cancelamento da mudança no ICMS. "Na nossa gestão nada será feito em prejuízo da população mais vulnerável", escreveu Doria na rede social.

Fonte: CNN Brasil 



ÚLTIMA EDIÇÃO

GALERIA