PANDEMIA JÁ FECHOU 57 EMPRESAS EM SJB

Pesquisa da ACE traz o panorama da situação das pequenas empresas de março a dezembro de 2020



Em boletim emitido nesta quinta-feira, a ACE - Associação Comercial e Empresarial de São Joaquim da Barra traz o balanço da situação das empresas durante a pandemia, de março a dezembro.

Para este balanço, a ACE consultou 14 escritórios de contabilidade e 5 imobiliárias da cidade. Nos escritórios de contabilidade foram abordados a quantidade de empresas fechadas e abertas, a classificação do porte (MEI, ME e EPP), de qual segmento e o atraso no pagamento dos impostos.

Nas imobiliárias foram abordados a quantidade de pontos fechados e abertos, de qual segmento, o desconto médio negociado sobre os valores dos aluguéis e o comportamento da inadimplência.

A pesquisa junto aos escritórios de contabilidade, mostrou que foram abertas 103 empresas e fechadas 57, porém o saldo positivo se deu no grupo dos MEIs, categoria que não depende de um ponto comercial, podendo exercer suas atividades em casa.


PUBLICIDADE



As maiores concentrações estão nos segmentos de vestuários e alimentação, atividades como vendas de roupas, comercialização e entrega de salgados, bolos, pães, marmitex e outras.

Ainda, de acordo com o boletim, boa parte destes MEIs são pessoas que perderam seus empregos e, devido à dificuldade de recolocação no mercado de trabalho, buscaram uma alternativa de renda, começando em casa, devido aos baixos custos.

Os dados da pesquisa nas imobiliárias comprovam com os saldos negativos na locação de pontos comerciais, ou seja, mais pontos fechados do que ocupados durante este período.

O Relatório Focus do Banco Central projeta uma queda de 4,3% no PIB de 2020, um tombo de mais de 6,5% desde 2014, mostrando que o país continua no fundo do poço.

A pesquisa de emprego da Pnad Continua do IBGE do mês de novembro mostra que o número de desempregados foi estimado em mais de 14 milhões de brasileiros, do total da população ocupada, 33,5 milhões estão na informalidade e 5,7 milhões de brasileiros desistiram de procurar emprego.

A indústria fechou 2020 em queda de 4,5%, o comércio apresentava até novembro um crescimento de 1,2%, mas com destaque negativo para o setor de vestuário e calçados que amargava um queda 25,1% e os serviços até novembro continuava em queda de 8,3% e o setor de alojamento e alimentação, que abrange os bares e restaurantes apresentava uma queda de 37,9% no ano.

 

“Com as restrições impostas ao funcionamento do comércio pelo Plano São Paulo e, sem o auxílio emergencial, os benefícios trabalhistas, a prorrogação no pagamento de tributos e as concessões de linhas de crédito, os municípios se tornarão um grande cemitério de empresas, pois sem faturamento não terão como manter os empregos, o pagamento dos aluguéis, dos impostos, enfim, a falência total”, diz o boletim.

 

Escritórios de Contabilidade – EMPRESAS FECHADAS

- Empresas fechadas: 57

- Classificação do porte: 48 (ME) micro empresas – 84,2%

08 (MEI) micro empreendedor individual – 14%

01 (EPP) empresa de pequeno porte – 1,8%

- Empresas com atraso no pagamento de impostos: 30%

- Segmentos: Vestuário, Calçados e Acessórios – 23 empresas (40,4%)

Bares e Restaurantes – 20 empresas (35,1%)

Serviços – 9 empresas – (15,8%)

Outros segmentos – 5 empresas (8,7%)

 

 

Escritórios de Contabilidade – EMPRESAS ABERTAS

- Empresas abertas: 103

- Classificação do porte: 57 (MEI) micro empresas – 55,3%

38 (ME) micro empreendedor individual – 36,9%

08 (EPP) empresa de pequeno porte – 7,8%

- Segmentos: Vestuário, Calçados e Acessórios – 38 empresas (36,9%)

Bares e Restaurantes – 35 empresas (34,0%)

Serviços – 22 empresas – (21,4%)

Outros segmentos – 8 empresas (7,7%)

 

Imobiliárias – PONTOS FECHADOS

- Pontos fechados: 48

- Segmentos: Vestuário, Calçados e Acessórios – 21 empresas (43,8%)

Bares e Restaurantes – 7 empresas (14,6%)

Outros segmentos – 20 empresas (41,6%)

- Desconto médio aplicado sobre os valores dos aluguéis: 33,3%

- Atraso médio no pagamento dos aluguéis (inadimplência): 6,3%

 

 

Imobiliárias – PONTOS ABERTOS

- Pontos abertos: 36

- Segmentos: Vestuário, Calçados e Acessórios – 15 empresas (41,7%)

Bares e Restaurantes – 3 empresas (8,3%)

Outros segmentos – 18 empresas (50,0%)



ÚLTIMA EDIÇÃO

GALERIA