Terça-Feira, 08 de Janeiro de 2019
SÃO JOAQUIM DA BARRA E SALES APARECEM COMO CIDADES COM RISCO DE SURTO DE DENGUE
Confira a situação de todas as cidades da região
Image title

Durante os meses de dezembro e janeiro começa uma batalha travada anualmente entre a população e o Aedes Aegypti. Com as chuvas em maior volume, causando criadouros com água parada, epidemiologistas estão preocupados com a infestação do mosquito e o volume de adoecimentos.


De acordo com o Governo Federal e o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes Aegypti (LIRAa) feito em dezembro de 2018, ao todo 208 municípios de São Paulo estão em alerta, como Ituverava e Nuporanga, e 42 estão em risco de surto da doença, como São Joaquim da Barra e Sales Oliveira.


Outras 388 cidades estão em situação satisfatória e cinco municípios utilizaram armadilha, (quando a infestação do mosquito é muito baixa ou inexistente).


Veja aqui a situação de todas as cidades (classificadas por estado). O LIRAa é um modelo utilizado para verificar o IPP (Índice de Infestação Predial) nos municípios e é uma importante ferramenta que ajuda a mapear os locais com alto índice de infestação.


ALERTA

De acordo com os dados da Secretaria da Saúde de São Joaquim da Barra, atualmente a cidade conta com 380 notificações, dessas, 143 são casos suspeitos, 190 casos confirmados e 39 negativos. A Assessoria de Imprensa da Prefeitura alerta que a incidência pode ser maior, uma vez que são notificados apenas os exames realizados pelo SUS.


Há relatos de casos de dengue hemorrágica na cidade, porém não registrados. “A sorologia da dengue possui uma janela imunológica. A pessoa leva de 5 a 10 dias para produzir os anticorpos, então há divergências dos números citados aqui em relação aos números de atendimentos nas unidades de saúde do município” explica o Secretário da Saúde, Dr. Rangel Luís de Melo.  


A prefeitura, através do setor responsável, vem realizando os trabalhos de combate ao mosquito nas residências da cidade o ano todo, sendo intensificado nos meses de novembro, dezembro e janeiro. Durante a realização desta matéria, recebemos a visita de uma vigilante sanitária que fazia a inspeção no bairro. Ela nos relatou que muitos moradores relutam em permitir o acesso dos agentes em suas casas. “Muitas pessoas não nos atendem. Não abrem seus portões para a inspeção, isso prejudica muito o trabalho, porque não há o que possamos fazer.” relata.



O prefeito Marcelo Mian se pronunciou a respeito do assunto informando que a administração estuda resolver os casos com a implantação de multas para residências reincidentes. “Muitos moradores só irão se conscientizar quando isso afetar o bolso. Têm casas que foram encontrados mais de 60 criadouros do mosquito, todos com larvas. Não tem uma lei pertinente, mas estudamos um projeto nesse sentido.” explica o prefeito.


Em Sales Oliveira, apesar do mais alto índice da microrregião de acordo com o LIRAa, apenas 3 casos foram confirmados em 2018, sendo um deles em novembro. A chefe da Vigilância Sanitária, Daiana Pilotto, explica que o trabalho de combate à Dengue vem sendo realizado de forma intensa, inclusive fora do horário comercial, uma vez que muitos moradores não se encontram no local no horário da inspeção por conta do trabalho.


Em Ituverava foi registrado logo na primeira semana do ano um caso de Dengue Hemorrágica, sendo nove notificações sem confirmação já no mês de janeiro. Ao todo, a cidade registrou 84 notificações em 2018.


A Vigilância Sanitária de Orlândia também informou seus números de contaminação dos dois últimos meses, registrando em dezembro dois casos suspeitos (sem confirmação) e em janeiro sete casos suspeitos (sem confirmação).


Em Ipuã o índice é alarmante, com 26 casos confirmados.


Todas as cidades citadas nesta matéria realizam trabalhos para combate e prevenção contra as doenças transmitidas pelo mosquito, além de atividades para conscientização da população.


O que deve mudar é a educação, costume e higiene dos moradores. Dengue é um assunto sério e não deve ser tratado com descaso. 

Fontes: G1 / Vigilância Sanitária de São Joaquim da Barra, Orlândia, Ituverava Ipuã e Sales Oliveira.




Fonte: Inside Vip





Anuncie


VEJA TAMBÉM


 
Eletropar