BOLETIM ECONÔMICO DA ACE - ARRECADAÇÃO FEDERAL E BALANÇO DE PAGAMENTOS

Arrecadação Federal teve o pior resultado para o mês de maio desde 2005



A Associação Comercial Empresarial de São Joaquim da Barra - ACE divulgou o boletim econômico com dados do balanço de pagamentos e da Arrecadação Federal, esta que teve o pior resultado para o mês de maio desde 2005.

A arrecadação federal em maio foi de R$77,4 bilhões, queda de 23,2% sobre o mês anterior.

De acordo com a Receita Federal, o governo arrecadou R$77,4 bilhões em maio, o pior resultado em 15 anos.

Segundo os dados, a arrecadação caiu 23,2% na passagem do mês de abril (R$100,7 bi) para o mês de maio (R$77,4 bi).

Somente as Demais Receitas Administradas apresentou crescimento no mês de maio.

As principais receitas com resultados negativos foram a Receita Previdenciária com queda de 7,6%, a Cofins/Pis/Pasep com 2,5%, o IRPJ/CSLL com 50,6%, o IRRF – Rendimentos do Trabalho com 16,4%, o IE Imposto Sobre Importação com 2,3%, IRRF – Rendimentos de Capital com 5,4% e o IPI (exceto vinculado) com 18,8%.


MAIO/20 X MAIO/19

Na comparação com o mesmo período do ano anterior (maio/19), a arrecadação recuou 32,9%, passou de R$115,4 bilhões para R$77,4 bilhões em 2020.

Todas as receitas apresentaram resultados negativos na comparação com o mesmo período do ano passado.

A Receita Previdenciária apresentou queda de 39%, a Cofins/Pis/Pasep com 53,2%, as Demais Receitas Administradas com 12,1%, o IRPJ/CSLL com 12,7%, o IRRF – Rendimentos do Trabalho com 4,6% e o IRRF – Rendimentos de Capital com 19,8%.

 

 BALANÇO DE PAGAMENTOS

A conta das transações correntes foi superavitária em US$1,3 bilhão em maio.

Transações Correntes  - As transações correntes apresentaram superávit em maio de US$1,3 bilhão, após um déficit de US$1,4 bilhão em maio/19.

Balança Comercial - O superávit na balança comercial caiu 16,2% em maio, passou de US$5,0 bilhões em 2019 para US$4,2 bilhões em 2020.

Viagens Internacionais - O saldo líquido da conta viagens internacionais caiu 91,8% em maio, passou de US$1,1 bilhão em 2019 para US$87 milhões em 2020.

Remessas de Dividendos  - As remessas de dividendos caíram 98,7% em maio, passaram de US$2,4 bilhões em 2019 para US$32 milhões em 2020.

Despesas Líquidas com Juros - As despesas líquidas com juros cresceram 27,8% em maio, passaram de US$997 milhões em 2019 para US$1,3 bilhão em 2020.

IDP Investimentos Direto no País - Os Investimentos Diretos no País (IDP) caíram 69,1% em maio, passaram de US$8,3 bilhões em 2019 para US$2,6 bilhões em 2020.

Reservas Internacionais  - As reservas internacionais caíram 10,5% em maio, passaram de US$386,2 bilhões em 2019 para US$345,7 bilhões em 2020.

Dívida Bruta  - A dívida bruta (curto e longo prazo) caiu 2,8% no ano, passou de US$323 bilhões em dez/19 para US$314 bilhões em maio/20.

Fonte: ACE



GALERIA