BOLETIM ECONÔMICO ACE - PESQUISA MENSAL DO COMÉRCIO (PMC) E PROJEÇÃO DA SAFRA DE GRÃOS

Confira o boletim divulgado no dia 08 de julho



Associação Comercial Empresaria de São Joaquim da Barra  - ACE  divulgou o boletim econômico com os dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) e da Projeção da Safra de Grãos da CONAB  e do IBGE.


CONAB - LEVANTAMENTO DA SAFRA DE GRÃOS - SAFRA 2019/20 – JUNHO/20
Segundo os dados da CONAB, a projeção da safra de grãos para 2019/20, crescerá 3,9% na comparação com 2018/19, passando de 242,1 mi/tons. para 251,4 mi/tons, novo recorde na produção de grãos do país.

A área plantada crescerá 4%, aumentando de 63,3 mi/ha para 65,8 mi/ha.

A produção de soja, milho, arroz e feijão responderá por 93,8% da produção total de grãos e de 91,2% da área plantada.

Para a safra de 2019/20, a produção de soja crescerá 5,1%, a de arroz 6,5%, a de feijão 4,6% e a do milho 0,5%.


CONAB - UNIDADES DA FEDERAÇÃO - SAFRA 2019/20 – MAIO/20
O Mato Grosso é o maior produtor de grãos do país, respondendo por 29,3% da produção nacional (73,8 mi/tons), líder na produção de soja, milho e algodão.

O Rio Grande do Sul lidera com 70,4% a produção de arroz e o Paraná a de trigo com 47,4%.

O Mato Grosso lidera a produção de grãos com 29,3%, seguido do Paraná com 15,9%, de Goiás com 10,6%, do Rio Grande do Sul com 10,4%, do Mato Grosso do Sul com 7,8%, de Minas Gerais com 6%, da Bahia com 3,8%, de São Paulo com 3,7%, e de Santa Catarina com 2,6%.


 IBGE - LEVANTAMENTO SISTEMÁTICO DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA - SAFRA 2020 – JUNHO/20 
A projeção da produção de grãos para 2020, apresenta crescimento de 2,5% na comparação com o ano de 2019, passando de 241,5 mi/tons. para 247,4 mi/tons. novo recorde histórico.

A área plantada apresentou crescimento de 2% e a colhida de 2,2% em relação a 2019.

A produção de soja, milho e arroz respondem por 92,2% da produção total de grãos e de 87,1% das áreas plantadas e colhidas.

Para a safra de 2020, a produção de soja apresenta crescimento de 5,6%, a de arroz de 5,3% e o milho com queda de 3,0%.


IBGE – LSPA DO ESTADO DE SÃO PAULO - SAFRA 2020 – JUNHO/2020 
O estado de São Paulo ocupa a 7ª posição nacional na produção de grãos e para 2020 apresenta crescimento de 12,1% na comparação com o ano de 2019, passando de 9,224 mi/tons para 10,344 mi/tons.

Os principais produtos com variações foram a soja com crescimento 34,2%, passando de 3,0 mi/tons para 4,1 mi/tons e o milho com 1%, passando de 4,8 mi/tons para 4,9 mi/tons.


IBGE - LSPA - UNIDADES DA FEDERAÇÃO - SAFRA 2020 – JUNHO/20 
O Mato Grosso é o maior produtor de grãos do país, responde por 28,4% da produção nacional (70,3 mi/tons), líder na produção de soja, milho e algodão.

O Rio Grande do Sul lidera a produção de arroz com 71% e o Paraná a de trigo com 52,8%.

O Mato Grosso lidera a produção nacional de grãos com 28,4%, seguido do Paraná com 16,4%, do Rio Grande do Sul com 10,7%, de Goiás com 10,1%, do Mato Grosso do Sul com 7,9%, de Minas Gerais com 6,1%, de São Paulo com 4,2%, da Bahia com 3,8% e de Santa Catarina com 2,6%.

Apesar de não ser grão, a cana-de-açúcar tem uma participação grande no estado, a área plantada cresceu 2%, passando de 5,051 mi/ha para 5,151 mi/ha e a produção 3,5%, passando de 341,8 mi/tons para 353,9 mi/tons.

A cana-de-açúcar ocupa 61,8% da área plantada no estado em 2020.

VENDAS NO COMÉRCIO  (8 de julho de 2020)
As vendas no comércio cresceram 13,9% em maio, o maior crescimento para o mês desde o início da série histórica em 2000.

As vendas no varejo em maio cresceram 13,9% em relação a abril, indicando uma recuperação do comércio após dois meses de queda devido ao cenário de pandemia e isolamento social iniciado em março de 2020. O aumento representa uma recuperação dos meses anteriores, com níveis recordes no campo negativo, tanto no comércio varejista, quanto no comércio varejista ampliado. Porém, a alta foi insuficiente para o setor recuperar as perdas de março e abril.

Os números positivos aparecem após o mês de abril ter registrado o pior patamar de vendas da série histórica (-16,3%).

Todas as oito atividades observadas no comércio varejista registraram taxas positivas na passagem de abril para maio. Entre as que apresentaram maior crescimento percentual estão Tecidos, vestuário e calçados (100,6%), Móveis e eletrodomésticos (47,5%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (45,2%) e Livros, jornais, revistas e papelaria (18,5%). Já o setor de Hipermercados, que tinha recuado em abril, cresceu 7,1% em maio.

A massa salarial apresentou queda de 7,3 bilhões no último trimestre, conforme apontou a PNAD Contínua. Mas em maio teve mais uma parcela do 13º salário dos aposentados e o auxílio emergencial, que já estava na sua segunda edição, benefícios que a massa de rendimento não engloba. Então muitos fatores colaboram para esse crescimento, como o próprio aumento das atividades. De alguma maneira, houve algum impacto na abertura dessas lojas físicas e também uma acomodação no modo diferente de trabalhar, como as entregas, por exemplo.

Fonte: ACE 



GALERIA