BOLETIM ECONÔMICO ACE - OPERAÇÕES DE CRÉDITOS E DAS TAXAS DE JUROS PARA PESSOAS JURÍDICAS E FÍSICAS

A taxa do cheque especial recuou para 110,2% em junho, já a taxa do cheque especial para as empresas continuou acima dos 300%



A Associação Comercial Empresaria de São Joaquim da Barra  - ACE, divulgou o boletim econômico com os dados das Operações de Créditos e das Taxas de Juros para Pessoas Jurídicas e Pessoas Físicas.

A taxa média de juros para as famílias caiu 2,2 p.p. na comparação de maio (42,9%) com junho (40,7%).

O spread caiu de 37,4 p.p. para 35,7 p.p.

Os prazos das concessões aumentaram de 60,8 meses para 61,6 meses.

A inadimplência caiu de 5,5% para 5,2%.

As linhas de créditos com as maiores taxas em junho foram as do Cartão de Crédito Rotativo não Regular com 334%, do Cartão de Crédito Rotativo Regular com 242%, do Cartão de Crédito Parcelado com 118,7%, do Cheque Especial com 110,2% e do Crédito Não Consignado com 79,6%.

Recursos Direcionados  - junho/20 x maio/20

A taxa média de juros para as famílias, se manteve estável em 7,3% em junho.

O spread subiu de 4,9 p.p. para 5 p.p.

O prazo das concessões subiram de 269 meses para 269,6 meses.

A inadimplência caiu de 2,1% para 1,6%.

As linhas de créditos com as maiores taxas em junho foram as do Microcrédito com 33,1%, do BNDES Financ. Investimentos com 8,7%, do Crédito Rural (taxas de mercado) com 8,6%, do BNDES Financ. Agroindustrial com 8%, do Financ. Imobiliários (taxas de mercado) com 7,9%, do Financiamento Imobiliário (taxas reguladas) com 7,1% e do Crédito Rural (taxas reguladas) com 6,1%.

 

TAXA DE JUROS - PJ - 29 DE JULHO DE 2020

A taxa do cheque especial para as empresas continuou acima dos 300% em junho.

Recursos Livres - Junho/20 x Maio/20

A taxa média de juros para as empresas caiu 1,2 p.p. de maio (14,2%) para junho (13%).

O spread caiu de 10 p.p. para 9,2 p.p.

Os prazos das concessões caíram de 24,2 meses para 23,6 meses.

A inadimplência caiu de 2,4% para 2%.

As linhas de créditos com as maiores taxas em junho foram as do Cheque Especial com 300,9%, do Cartão de Crédito Total com 39,4%, da Conta Garantida com 27,7%, do Desconto de Cheques com 25,2% e do Capital de Giro – teto rotativo com 20,8%.

Recursos Direcionados - Junho/20 x Maio/20

A taxa média de juros para as empresas caiu 1,3 p.p. de maio (7,8%) para junho (6,5%).

O spread caiu de 4,3 p.p. para 3,3 p.p.

O prazo das concessões subiram de 80,1 meses para 97,5 meses.

A inadimplência caiu de 2,1% para 1,9%.

As linhas de créditos com as maiores taxas em junho foram as do Financiamento Imobiliário (taxas de mercado) com 9,2%, do Financiamento Imobiliário (taxas reguladas) com 8,8%, do BNDES Financ. Agroindustrial com 7,5%, do BNDES Financ. Investimentos com 6,5%, do Crédito Rural (taxas de mercado) com 6,2%, do Crédito Rural (taxa reguladas) com 5,2% e do BNDES Financ. Capital de Giro com 4,1%.

 

 OPERAÇÕES DE CRÉDITO - 29 DE JULHO DE 2020

O volume total de crédito em junho alcançou R$3,6 trilhões, crescimento de 9,8% em relação a 2019.

O saldo das operações de crédito cresceram 0,8% na passagem de maio para junho.

Crédito Total

O volume total de crédito fechou junho em R$ 3,625 trilhões, crescimento de 0,8% sobre o mês anterior e de 9,8% sobre o mesmo mês do ano anterior.

PJ e PF

O volume de crédito para Pessoas Jurídicas com R$1,6 trilhão, cresceram 1% em relação ao mês anterior.

O volume de crédito para Pessoas Físicas com R$2,0 trilhões, cresceram 0,7% em relação ao mês anterior.

Recursos Direcionados

Os recursos direcionados com R$ 1,5 trilhão, cresceram 1,1% em relação ao mês anterior e 3,3% sobre o mesmo mês do ano anterior

Recursos Livres

Os recursos livres com R$ 2,1 trilhões, cresceram 0,6% em relação ao mês anterior e 14,9% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

Concessões de Crédito  - PJ e PF

As concessões de crédito para PJ cresceram 9,8% e para PF 14,2% em relação a maio, totalizando R$321,9 bilhões em junho.

Recursos Livres e Direcionados

As concessões de crédito para Recursos Livres cresceram 12,3% e para os Direcionados 10,1% em relação a maio, totalizando R$321,9 bilhões em junho.



GALERIA