BOLETIM ECONÔMICO ACE - PRÉVIA DO PIB (IBC-BR) DO BANCO CENTRAL E PESQUISA MENSAL DE SERVIÇOS (PMS) DO IBGE

A Prévia do PIB apresentou crescimento de 9,47% no terceiro trimestre



A Associação Comercial Empresarial de São Joaquim da Barra divulgou o boletim econômico com os dados da Prévia do PIB (IBC-Br) do Banco Central e da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE.


 ÍNDICE IBC-BR  - 13 DE NOVEMBRO DE 2020

A Prévia do PIB apresentou crescimento de 9,47% no terceiro trimestre.

O que é o IBC-Br do Banco Central

O IBC-Br é um índice de periodicidade mensal calculado pelo Banco Central, com o objetivo de medir com antecedência a evolução da atividade econômica do país.

Este índice incorpora estimativas para a agropecuária, a indústria e o setor de serviços, assim como os impostos sobre os produtos.

Em outras palavras o IBC-Br do Banco Central é uma prévia do PIB medido pelo IBGE.

________________________________

Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) apresentou crescimento de 1,29% no mês de setembro e de 9,47% no terceiro trimestre.

Segundo os dados do IBGE, no terceiro trimestre a indústria cresceu 4,8%, o comércio 2,8% e o setor de serviços 2,5%.

No terceiro trimestre, o índice apresentou crescimento de 9,47%, retração de 10,18% no anterior (jun/20) e crescimento de 0,49% no mesmo trimestre do ano anterior (set/19).

Na comparação com o mesmo período do ano passado, o índice apresentou retração de 0,77% na série sem ajuste e de 1,98% na série com ajuste.

No acumulado do ano, o índice apresentou retração de 1,90% na série sem ajuste e de 2% na série com ajuste.

No acumulado de doze meses, o índice apresentou retração de 3,32% na série sem ajuste e de 3,48% na série com ajuste.


_________________________________________________________________

 SETOR DE SERVIÇOS - 12 DE NOVEMBRO DE 2020

O setor de serviços cresceu 1,8% em setembro, a quarta alta seguida.

Em setembro de 2020, o volume de serviços no Brasil avançou 1,8% frente a agosto, foi a quarta taxa positiva seguida. Esse resultado sucedeu uma sequência de quatro taxas negativas, entre fevereiro e maio, com perda acumulada de 19,8%.

Frente a setembro de 2019, o volume de serviços recuou 7,2%, no acumulado no ano caiu 8,8% e a taxa dos últimos 12 meses recuou 6,0%, mantendo a trajetória descendente iniciada em janeiro de 2020 e chegando ao resultado negativo mais intenso da série deste indicador, iniciada em dezembro de 2012.

Na passagem de agosto para setembro, quatro das cinco atividades pesquisadas cresceram. Apenas serviços profissionais, administrativos e complementares (-0,6%) tiveram resultado negativo, eliminando pequena parte do ganho de 5,8% no período de junho a agosto.

Os setores mais afetados pela pandemia, serviços prestados às famílias (9,0%) e transportes (1,1%), tiveram importância mais moderada na composição do resultado do mês, já que ambos cresceram pelo quinto mês seguido..

Em setembro de 2020, o índice de atividades turísticas cresceu 11,5%, a quinta taxa positiva seguida, período em que acumulou ganho de 88,8%. O segmento de turismo ainda necessita avançar 66,1% para retornar ao patamar de fevereiro de 2020. As medidas contra a COVID-19 atingiram de forma mais intensa e imediata boa parte das atividades turísticas, principalmente ao transporte aéreo de passageiros, restaurantes e hotéis.

 



GALERIA