BOLETIM ECONÔMICO ACE - LEVANTAMENTO SISTEMÁTICO DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA (LSPA) E DA PRODUÇÃO DE GRÃOS DA CONAB

Segundo os dados da CONAB, a projeção da safra de grãos crescerá 3,1%



A Ace de São Joaquim da Barra divulgou os boletins econômicos com os dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) e da Produção de Grãos da CONAB.

 

CONAB - LEVANTAMENTO DA SAFRA DE GRÃOS - SAFRA 2020/21 – JANEIRO/21

Segundo os dados da CONAB, a projeção da safra de grãos para 2020/21, crescerá 3,1% na comparação com 2019/20, passando de 256,9 mi/tons. para 264,8 mi/tons, novo recorde na produção de grãos do país. A área plantada crescerá 1,6%, aumentando de 65,9 mi/ha para 67 mi/ha.

A produção de soja, milho, arroz e feijão responderá por 94,4% da produção total de grãos e de 91,5% da área plantada. Para a safra de 2020/21, a produção de soja crescerá 7,1% e com diminuição a do milho com queda de 0,2%, do algodão com 11,7%, do arroz com 2,5%, e do feijão com 2,4%.

 

CONAB - UNIDADES DA FEDERAÇÃO - SAFRA 2020/21 – JANEIRO/21

O Mato Grosso é o maior produtor de grãos do país, respondendo por 27,9% da produção nacional (73,9 mi/tons), líder na produção de soja, milho e algodão. O Rio Grande do Sul lidera com 70% a produção de arroz e o Paraná com 49,5% de trigo da safra 2019/2020.

O Mato Grosso lidera a produção de grãos com 27,9%, seguido do Paraná com 15,5%, do Rio Grande do Sul com 12,9%, de Goiás com 10,3%, do Mato Grosso do Sul com 8%, de Minas Gerais com 6,1%, da Bahia com 3,9%, de São Paulo com 3,7% e de Santa Catarina com 2,4%.


 


 


IBGE - LEVANTAMENTO SISTEMÁTICO DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA - SAFRA 2020 – DEZEMBRO/20

A projeção da produção de grãos para 2020, apresenta crescimento de 5,2% na comparação com o ano de 2019, passando de 241,5 mi/tons. para 254,1 mi/tons. novo recorde histórico. A área plantada apresentou crescimento de 3,2% e a colhida de 3,5% em relação a 2019.

A produção de soja, milho e arroz respondem por 92,8% da produção total de grãos e de 87% das áreas plantadas e colhidas. Para a safra de 2020, a produção de soja apresenta crescimento de 7,1%, a de arroz de 7,7% e a do milho de 2,7%

 

IBGE – LSPA DO ESTADO DE SÃO PAULO - SAFRA 2020 – DEZEMBRO/2020

O estado de São Paulo ocupa a 8ª posição nacional na produção de grãos e para 2020 apresenta crescimento de 7,8% na comparação com o ano de 2019, passando de 9,225 mi/tons para 9,946 mi/tons. Os principais produtos com variações foram a soja com crescimento 31,2%, passando de 3,0 mi/tons para 4,0 mi/tons e o milho com queda de 6,4%, passando de 4,8 mi/tons para 4,5 mi/tons.

Apesar de não ser grão, a cana-de-açúcar tem uma participação grande no estado, a área plantada cresceu 2,3%, passando de 5,051 mi/ha para 5,167 mi/ha e a produção 3,1%, passando de 341,8 mi/tons para 352,3 mi/tons. A cana-de-açúcar ocupa 61,7% da área plantada no estado em 2020.

 

IBGE - LSPA - UNIDADES DA FEDERAÇÃO - SAFRA 2020 – DEZEMBRO/20

O Mato Grosso é o maior produtor de grãos do país, responde por 28,7% da produção nacional (72,8 mi/tons), líder na produção de soja, milho e algodão. O Rio Grande do Sul lidera a produção de arroz com 70,3% e o Paraná a de trigo com 49,8%.

O Mato Grosso lidera a produção nacional de grãos com 28,7%, seguido do Paraná com 15,9%, do Rio Grande do Sul com 10,3%, de Goiás com 10,3%, do Mato Grosso do Sul com 8,7%, de Minas Gerais com 6,2%, da Bahia com 4%, de São Paulo com 3,9% e de Santa Catarina com 2,5%.

 


SETOR DE SERVIÇOS 13 DE JANEIRO DE 2021

O setor de serviços avançou 2,6% na passagem de outubro para novembro, o sexto mês consecutivo de alta. Apesar do ganho acumulado de 19,2% nesse período, o resultado ainda é insuficiente para compensar as perdas entre os meses de fevereiro e maio do setor, que ainda se encontra 3,2% abaixo do patamar de fevereiro. Na comparação com novembro de 2019, o total do volume de serviços recuou 4,8%, marcando a nona taxa negativa seguida.

No acumulado do ano, o volume de serviços caiu 8,3%. Já em 12 meses, o recuo de 7,4% manteve a trajetória descendente iniciada em janeiro (1,0%) e apontou o resultado negativo mais intenso desde o início da série histórica, iniciada para esse índice, em dezembro de 2012.

Todas as cinco atividades investigadas na pesquisa tiveram crescimento na passagem de outubro para novembro, com destaque para os transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, que registrou alta de 2,4%, e serviços prestados às famílias, que avançou 8,2%. Ambas foram as mais afetadas pela pandemia.

Os demais avanços vieram dos serviços de informação e comunicação (0,5%) e de outros serviços (0,5%). O índice de atividades turísticas cresceu 7,6%, sétima taxa positiva seguida, período em que acumulou ganho de 120,8%.

Mas o segmento de turismo ainda necessita avançar 42,8% para retornar ao patamar de fevereiro de 2020, já que o isolamento social atingiu mais intensamente boa parte das atividades turísticas, principalmente, transporte aéreo de passageiros, restaurantes e hotéis.



ÚLTIMA EDIÇÃO

GALERIA