INTERVALO DA SEGUNDA DOSE DA PFIZER DEVE SER MENOR

Intenção é evitar a disseminação da variante Delta que avança pelo Brasil



O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta segunda-feira (26) que o intervalo entre as duas doses da vacina da Pfizer pode ser reduzido de 90 para 21 dias - como prevê a bula. A intenção é evitar a disseminação da variante delta.

Queiroga afirmou que, em um primeiro momento, a opção foi por um intervalo maior para avançar na aplicação da primeira dose, mas como as vacinas da Pfizer estão chegando agora num volume maior, é possível mudar de estratégia.

Quando e como essa redução vai ocorrer ainda está em discussão.

 

VARIANTE DELTA

De acordo com informações da Agência Brasil, um balanço divulgado nesta segunda-feira (26) pelo Ministério da Saúde informou que o número de casos da variante Delta do novo coronavírus subiu para 169. Na atualização divulgada na sexta-feira (23), o número estava em 143. Deste total, 13 pacientes tiveram quadro grave e morreram em decorrência da covid-19.


Anúncio


O local com mais registros até o momento foi o Rio de Janeiro, com 88 casos mapeados. O Distrito Federal teve um salto e assumiu o segundo lugar, com 30 casos, contra seis na sexta-feira.

Em seguida vêm São Paulo com 15, Paraná com 13, Maranhão com sete, Santa Catarina com cinco, Goiás com quatro, Rio Grande do Sul e Pernambuco com três cada e Minas Gerais com um.

O Ministério reafirmou em comunicado que orienta estados e municípios a ampliar o sequenciamento genômico (procedimento que permite encontrar as variantes do novo coronavírus entre os infectados).

Além disso, são recomendações a notificação imediata dos casos, o isolamento dos infectados e a adoção de medidas de prevenção em áreas onde foram encontrados pacientes com a variante.



ÚLTIMA EDIÇÃO

INSIDE TV

GALERIA