A TÉCNICA DO “ESPELHO”

Confira a dica da psicopedagoga Drielly Holanda para ajudar na aprendizagem e comunicação infantil



Image title
Por Drielly Holanda - Psicopedagoga na Clínica Integrale

Essa técnica é muito útil. É feita em pares que ficarão frente a frente. Um elemento da dupla faz movimentos com o corpo, sendo imitado pelo companheiro que age como seu espelho. Deve-se explorar ao máximo a movimentação, incentivando e invertendo os papeis. Essa técnica aplicada em sala de aula é muito funcional. O aplicador fala e as crianças pensam e repetem as orientações, uma por vez. A ideia é levá-los a refletirem e verbalizarem:


?             Como nos sentimos espelhando e sendo espelhados?

?             Do que mais gostei? Por quê?

?             Do que menos gostei? Por quê?

?             Tive dificuldades? Em que? Por quê?

?             Com quem foi mais fácil trabalhar?

?             Com quem foi mais difícil trabalhar? Por quê?

?             Pode-se aproveitar o contar histórias, para dramatização e usar o dedoche.




Durante a dramatização, a criança vai fazer os movimentos em frente ao espelho. Terminada a atividade, vai ficar em frente ao espelho e dizer o próprio nome e ressaltar as situações que mais gostou e apreciou em si mesmo. Depois dessa tarefa vai ser orientada a dar os parabéns para si mesmo, olhando no espelho.



?             Exemplo: Fulano(nome) você está de parabéns, fez umas cenas muito boas.


As técnicas básicas do psicodrama, como a inversão de papéis e o solilóquio, podem ser adaptadas sem maiores problemas às metodologias escolares comuns. Em síntese se faz um movimento e o outro reproduz. Essa técnica é excelente para auxiliar a criança no seu imaginário, na interpretação e dramatização das histórias, nos maus comportamentos como mordidas, fazendo refletir como o amigo se sente quando ele comete alguma agressão, auxilia os autistas a entenderam e reproduzir a articulação e as expressões faciais.



GALERIA