COMO MANTER AS CRIANÇAS ATIVAS DURANTE A QUARENTENA

Especialista traz dicas de como interagir com os pequenos em tempos de isolamento social



Por: Maria Júlia Blanco

De acordo com os cálculos da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua do ano de 2018, existem no Brasil cerca de 35,5 milhões de crianças com até 12 anos. No momento essas crianças estão em casa com suas famílias se protegendo do vírus que circula o mundo todo, o tão falado COVID-19. A partir disso surge à questão, como os pais estão lidando com seus filhos durante o isolamento social?

Em entrevista com a pedagoga e psicopedagoga Drielly Holanda foi possível esclarecer algumas das dúvidas frequentes sobre como interagir com as crianças, de forma saudável e tranquila.

“Durante o período de isolamento os pais precisaram assumir novas possibilidades em diversos aspectos para cumprirem a quarentena com as crianças, se tornando um desafio para conciliar trabalho, interação e aprendizagem dos filhos, adaptando a casa para conseguir disponibilizar todos esses fatos mencionados. Em todas as fases da vida um ambiente saudável e lúdico é essencial, e na infância é realmente fundamental se não dizendo primordial, onde o fator importante é disponibilizar momentos atrativos para não deixarem as crianças ociosas, inquietas e desmotivadas com a aprendizagem.”


DICAS:

Além disso, Drielly disponibilizou para a Inside algumas estratégias que ajudam os adultos e as crianças a atravessarem este momento com muita leveza:

        Separar um local apropriado e de preferência no mesmo horário para realizar as atividades escolares;

        Criar uma rotina diária da casa para não alterar hábitos e comportamentos;

        Evitar dar ordens em formas de perguntas para driblar discussões e repercussões momentos antes das dinâmicas. Deixe as regras bem claras e já definidas do que será necessário para o dia;

        Eles não precisam só de brinquedos estruturados, ensine-os a cozinhar, por exemplo, assim conseguem mensurar, aprender sobre medidas, escrita, leitura além de toda interação com a família. Invente brinquedos com objetos recicláveis, façam letras ou números com biscoitos, ou frutas, assim os motivam para uma melhor aprendizagem e alimentação;

        Abuse dos jogos para auxiliar na memória, atenção, concentração, através deles conseguimos ensinar de uma maneira leve e divertida, incentivando a criança a raciocinar, a frustrar-se, colaborar, aceitar o não, ajudar na coordenação motora, além de muitos outros estímulos;

        Nesse momento é muito interessante resgatar as brincadeiras antigas, as parlendas, além de colaborar no ritmo, na linguagem, na escrita e leitura. Também auxilia muito na criatividade e na afetividade com os avós;

        Montar jogos de memória com fotos ou imagens dos familiares, ou com temas presentes no cotidiano da família, como frutas ou animais, assim enriquece o vocabulário, a memória e discriminação visual, podendo transferir o jogo para a escrita, trabalhando a ortografia.

Outros jogos também importantes para essa aproximação entre a criança e o adulto são: jogo da forca, stop, jogo da velha, mímicas, jogos de adivinhas, guerra com bexiga de água, fantoches feitos com farinha de trigo e bexiga, etc.

“O importante é separar um tempinho, por mínimo que seja, para resgatar a ludicidade e deixar esse momento mais divertido, não se cobrando tanto ao se comparar com outras famílias, tirando as crianças dos jogos online, da compulsão alimentar, ansiedade, do tédio e montar um vínculo satisfatório com a aprendizagem. Ficar em casa não precisa ser chato.” Concluiu a psicopedagoga.


FAÇA VOCÊ MESMO:

O momento pode ser usado ainda, para apresentar a nova geração, histórias do passado da família, além disso, existe uma série de ideias que você mesmo pode inventar de casa e que vá trazer seu filho para perto sem forçar a barra. Na internet é possível encontrar vídeos que ensinam as famílias a criarem brinquedos com as próprias mãos, são os chamados Do It Yourself (DIY) que significa “faça você mesmo”.

Aproveite a oportunidade para explicar aos pequenos sobre a quarentena e a importância de manterem sempre as mãos limpas, sem exagero. Os hábitos de higiene na infância auxiliam na convivência futura, garantem a saúde da criança e daqueles que convivem com ela.



GALERIA