BUTANTAN PODE ENTREGAR 45 MILHÕES DE DOSES DA VACINA COVID AO SUS EM 2020

Caso os estudos clínicos sejam aprovados, a vacina da chinesa Coronavac pode estar disponível até dezembro



 O governo de São Paulo se comprometeu na última sexta (28) a disponibilizar para o Sistema Único de Saúde (SUS) cerca de 45 milhões de doses da Coronavac, vacina contra o novo coronavírus que está na fase final de testes, em dezembro.

A vacina é produzida pelo Butantan em parceria com a chinesa Sinovac. Os estudos finais estão sendo coordenados pelo instituto paulista e envolve 9 mil profissionais de saúde, que se voluntariaram para receber as doses da vacina em 12 centros de pesquisa em seis estados.

“Asseguramos ao ministro [da Saúde] que em dezembro teremos 45 milhões de doses de vacinas disponíveis para o nosso SUS, que, portanto ele pode iniciar a sua preparação para uma campanha nacional de vacinação”, afirmou Dimas Covas, diretor do Butantan.

 “Podíamos integralizar esse volume até 60 milhões em março e 100 milhões em maio. Formalizamos essa possibilidade”, acrescentou Covas.

O instituto tenta duplicar a sua capacidade de produção de vacinas, que atualmente é de 60 milhões de doses – número suficiente para imunizar 30 milhões de pessoas em duas doses -, para 120 milhões.

Membros do governo e o próprio diretor do Instituto Butantan, se reuniram com o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, para pedir um investimento de R$ 1,9 bilhão na produção de vacinas.

Os recursos seriam destinados para o aumento da capacidade de produção da nova vacina, investimento na fase final da pesquisa e na melhoria da fábrica responsável pela sua fabricação.

O valor solicitado pelo governo de São Paulo é o mesmo que o governo federal destinou, por meio de uma Medida Provisória, na viabilização da produção de 100 milhões de doses da vacina produzida pela Universidade de Oxford, em parceria com o laboratório AstraZeneca.

Na ocasião, a equipe também se reuniu com membros da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), já que, caso os resultados dos testes da terceira fase sejam positivos, a vacina precisa da aprovação da agência para ser distribuída no país.

“A reunião foi bem-sucedida. Falei ontem com o ministro Pazuello e a disposição do ministro é seguir tecnicamente o respaldo ao Instituto Butantan. Estamos caminhando bem nesta relação com o Ministério da Saúde e o seu apoio é fundamental para a ampliação do estudo clínico que estamos realizando e a capacitação para multiplicar fortemente a produção de vacina no instituto”, afirmou João Doria, governador de São Paulo.


EXPORTAÇÃO

O governador também anunciou que o Butantan vai exportar 550 mil doses da vacina Influenza para países asiáticos.

Segundo o governo, o pedido foi solicitado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em nome da Mongólia, para onde serão enviadas 300 mil doses, e das Filipinas, que receberão 250 mil doses.

“Estamos tratando da vacina contra a gripe, a qual o Instituto Butantan é o maior produtor do Hemisfério Sul. A solicitação da OMS consolida o Butantan como uma das instituições mais importantes e respeitadas na produção de vacinas em todo o mundo”, disse Doria.

A vacina Influenza do Butantan protege contra os três tipos de vírus Influenza mais prevalecentes e sua composição é alterada anualmente, devido à alta taxa de mutação do vírus. Ela é produzida a partir da inoculação do vírus em ovos embrionados de galinhas. 



GALERIA