ESTOQUE DA SEGUNDA DOSE SERÁ UTILIZADO COMO PRIMEIRA DOSE

Mudança do Ministério da Saúde autoriza entrega de estoques que seriam utilizadas como segunda dose aos estados



De acordo com nota do Ministério da Saúde, foi autorizado no sábado (20) que todas as vacinas armazenadas pelos estados e municípios para garantir a 2ª dose sejam utilizadas imediatamente como 1ª dose. 

O objetivo é ampliar o número de vacinados no Brasil. 

São 5 milhões de doses que serão distribuídas aos estados e deverão ser usadas como primeira dose, ou seja, não será necessário guardar metade dos imunizantes para garantir a aplicação da segunda dose.

Em nota, a pasta informou que "a medida já vinha sendo estudada há cerca de duas semanas, e foi atendida após garantia da segurança das entregas por parte dos fornecedores".

Decisão levou em consideração a previsão de entrega das vacinas produzidas pelo Instituto Butantan e pela Fiocruz.


Continua após publicidade


No início da campanha, com base em diretrizes do Programa Nacional de Imunizações (PNI), 50% das vacinas destinadas pelo governo federal aos estados e municípios foram reservadas como 2ª dose.

Em 19 de fevereiro, o Ministério da Saúde divulgou que faria uma mudança na estratégia da vacinação contra a Covid-19, sem guardar metade do imunizante para a 2ª dose. À época, o governo argumentou que o ritmo de chegada das novas doses seria acelerado e, com isso, não seria preciso reserva.


Entretanto, em 24 de fevereiro, a pasta recuou e informou que os estados e municípios deveriam reservar a 2ª dose da CoronaVac para garantir que ela seja aplicada de duas a quatro semanas após a 1ª.

Produção nacional

Na segunda (15) a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciou que entregaria as primeiras doses da vacina contra Covid-19 produzidas pela instituição ainda nesta semana. De acordo com a instituição, seriam 1 milhão e 80 mil doses até sexta-feira (19).

As primeiras 500 mil seriam enviadas ao Ministério da Saúde até quarta (17). As outras 580 mil, até o dia 19.

Ainda de acordo com a Fiocruz, 3,8 milhões de vacinas serão entregues até março. A expectativa é que, no final do mês, a produção diária chegue a um milhão.

As vacinas são envasadas com o Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) importado da China.

Depois de vários atrasos na chegada do IFA, o ingrediente principal da vacina, no dia 12 de março a Fiocruz recebeu notícia de que a China havia liberado o dobro da quantidade prevista - ainda sem data para chegar.

A estimativa é que produção saia de menos de 4 milhões de doses em março para 30 milhões de doses em abril, mantendo o patamar elevado no mês seguinte.




ÚLTIMA EDIÇÃO

GALERIA