HOSPITAL DE AMOR INTERROMPE ATENDIMENTOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES

Falta profissionais e insumos, além do aumento de casos positivos do novo coronavírus dentro da unidade



Estão suspensos os atendimentos ambulatoriais e hospitalares no Hospital de Amor, a partir de hoje (22) até o dia 4 de abril.


Cirurgias de urgência, tratamentos de radioterapia, quimioterapia, hospital infantil, tratamento de medicina nuclear e a unidade de cuidados paliativos continuarão funcionando normalmente. 


O hospital informa que, pacientes que tiverem agendamentos neste período serão avisados. As consultas podem ser realizadas por telemedicina, a depender da necessidade.


Continua após publicidade


O diretor clínico do hospital, Marcos Duarte explica que um dos motivos para a suspensão dos atendimentos é a falta de profissionais e de insumos, além do aumento de casos positivos do novo coronavírus dentro da unidade.


Outro fator é que o Hospital de Amor está com falta de insumos para o tratamento dos pacientes. Segundo o diretor, por conta da grande demanda, o valor dos insumos, como luvas e máscaras, aumentaram.

“As vendas do fabricante estão comprometidas por várias encomendas, até do próprio governo que teve que fazer um pedido maior que o normal. Então [os fabricantes] não tão conseguindo suprir o aumento da nossa necessidade”, conta.

A rede hospitalar de Barretos é administrada pela equipe do Hospital de Amor. De acordo com o diretor clínico, a taxa de ocupação das UTIs da ala Covid-19 está em 100% há três semanas.

De acordo com informações do G1 o Hospital Nossa Senhora de Barretos, também da rede do Hospital de Amor, tinha, no começo da pandemia, oito leitos de UTI para tratamento de Covid-19. Atualmente, são 52 leitos para o atendimento de pacientes mais graves. Todos estão ocupados.

"Essa necessidade de fechamento é para conseguirmos evitar que falte leito de UTI para os pacientes que precisem”, explica o diretor.

Fonte: G1


ÚLTIMA EDIÇÃO

GALERIA